terça-feira, janeiro 01, 2008

Um Bom 2008 para Nós... e Todos

As fontes sonoras de casa silenciaram-se minutos antes da meia-noite.
Fiquei defronte à mulher que mais Amo, mãe do meu filho. Contemplámos-nos demoradamente. Olhos nos olhos. Demos as mãos, em silêncio dissemos tanta coisa e coisa nenhuma. Os nossos corações falaram por nós e os nossos olhos sorriam, sorriam, sorriam...
Ouve-se o sino da aldeia. São as badaladas que anunciam que 2007 chegou ao fim... tlim-tlão, ouve-se a última, 2008 entrou sem cerimónias. Abraçámo-nos, num abraço forte e sem fim. Naquele abraço revemos o que foi este ciclo que agora se fecha e em sussurro proferimos os votos para o novo ciclo que agora começa. Saúde, muita saúde para nós e todos; trabalho que não falte; que o nosso filho atinja os objectivos traçados para o ano lectivo 2007/08, assim como os amigos e todos; sorrisos, sorrisos e mais sorrisos...
Não temos champanhe, nem passas, nem amigos connosco, mas temo-nos um ao outro nesta noite de balanço da vida que passa.
Ouço uma valsa lá longe, lá longe onde o tempo não espera e avança. Apetece-me dançar, mas... não conheço os passos da valsa... nem da valsa, nem do tango, ou do vira, ou fandango, não sei dançar, pronto! A música aproxima-se, aproxima-se cada vez mais, levanto-me num ímpeto, peguei-lhe na mão com leveza e arrastámo-nos pela sala ao som da bela valsa - sei dançar! Gritei.
E bailámos até o cansaço nos derrotar.
Um Bom 2008... para todos!

7 comentários:

as-nunes disse...

Caro amigo Manuel Neves
Comovi-me com o seu texto. Não é que seja muito difícil emocionar-me sempre que estão em causa os sentimentos, injustiças e a quase total indiferença com que muitos de nós assobiamos para o lado como se não fosse nada connosco. Mas é. E revolto-me, barafusto e acabo por ficar frustrado na maior parte dos casos, porque não consigo arranjar engenho nem arte para resolver os males do mundo.
E o Planeta gira e gira...com a força dum relógio atómico(espero que não venha a ser bomba).
Sei que não é com este espírito que devemos começar um Novo Ano...
Portanto, vamos a esqueçer o malfadado 2007 e acreditar em milagres para 2008.
Muitas felicidades para si, esposa, filho e todos os outros.
António

Tozé Franco disse...

Caro manuel Neves:
Em 1.º lugar parabéns pelo texto.
Está magnífico.
Como vê, depois de dançar a valsa, mais razão tem o ditado "Nunca digas desa água não beberei".
Que 2008 traga tudo aquilo que mais desejamos.
Um grande abraço com tudo de bom para si e apara os seus

Anónimo disse...

:-)
Lindo.
"Não saber dançar"...não existe porque dançar não é uma sequencia de movimentos sincronizados com uma série de notas musicais...é mais...partilhar uma melodia que vem de dentro ;-)
Muitas Felicidades neste Novo Ano para o "dançarino", a esposa e o filho
Bjs, A.

Lu disse...

:) Tiveste a passagem de ano que eu gostava de um dia viver... o melhor da vida é o amor e a amizade que sentimos por quem temos ao nosso lado. Não é necessário mais nada.

Um 2008 feliz.

Beijinhos para ti e para a tua família.

Acordomar disse...

Gostei de ler este teu texto, esta bonito.
Beijocas e boa semana*

Chanesco disse...

Meu bom amigo Manuel

Congratulo-me com a força interior por si demonstrada, para reatar o seu PopulusRomanus... e um BOM 2008para si também.

Ainda bem que o entusiasmo e a felicidade lhe deu lições de dança.
Pois temo que no ano que acaba de entrar, quem não saiba dançar o fado do paga a crise, tenha de tirar um curso intensivo.

Um abraço Raiano

Luís Antero disse...

como já vos desejei bom ano, e como só agora li este teu manifesto de sentimento, simplesmente te desejo boa noite. esta e todas as q virão. q os teus sonhos sejam realizados. abraço fraterno.