sábado, novembro 10, 2007

Um texto sério... e triste.





O pobre blog PopulusRomanus, esteve à beira da morte. Pois, quem o deveria alimentar (eu próprio!), tem descurado esse seu dever e como é sabido, sem alimento ninguém (ou quase ninguém) sobrevive.

Juro que pensei em deixá-lo morrer de fome, como todos nós – humanidade - deixamos diariamente morrer crianças, exactamente pelo mesmo motivo – FOME! Em África, no Oriente, na América Latina, quiçá ás nossas portas, em cada 3,5 segundos morre um ser humano à fome.

Estima-se em todo o mundo mais de 810 milhões de vitimas crónicas de subnutrição, a maior parte crianças e mulheres.

Guerras, a natureza com as suas secas e cheias, desigualdades tremendas na distribuição
da riqueza no Mundo, são algumas das razões deste flagelo, desta verdadeira tragédia para a Humanidade.

Por estas e outras, não “matei” o pobre PopulusRomanus, seria, além de tudo um acto egoísta, de pura cobardia, um blog, como qualquer outra coisa que amemos deve ser acarinhado, mimado, alimentado – mia culpa, mia culpa, assim não tem sido nos últimos meses, vou tentar inverter esta realidade. Com a alimentação do PopulusRomanus, eu sozinho aguento-me, mas com a vergonha do Mundo – precisamos de todos - numa SOLIDARIEDADE nunca antes vista. Eu sei! Estão pensando: “palavras, mais palavras… utopia”, Pois! E não foram e são as utopias que...

“Eles não sabem nem sonham
que o sonho comanda a vida
e que sempre que o homem sonha
o mundo pula e avança
como bola colorida
entre as mãos duma criança”

(In Movimento Perpétuo – António Gedeão)

Claro! Sempre existem os Senhores políticos e governantes do Mundo, deste Mundo ou do outro Mundo, não interessa. Com os seus fatos cinzentos e colarinho branco, lá vão tratando da nossa vidinha de cada dia, não nos preocupemos. Eles têm tudo tratado, pensam muito nos nossos problemas e trabalham até em demasia na resolução dos mesmos, não nos preocupemos, apenas agradecemos!!!

Senhores inteligentes do Mundo, com potentes computadores, tropas, cursos universitários (até licenciaturas e tudo…), estão a tratar da saúde do planeta, da nossa saudezinha, vão acabar com a fome, com o aquecimento global, com as guerras que eles mesmo criaram, só temos que trabalhar as 8 horinhas (ou mais) do costume e nada mais. Não nos preocupemos com estas complexidades, só com a nossa vidinha. Eles, os Senhores tratarão do resto.

Acreditam? Balela! Tanga! Mentira! Atoarda! Fantasia! Nós, nós as pessoas que nos encontramos a cada dia que passa é que somos os donos do Mundo. Não nos deixemos instrumentalizar.

Enquanto escrevi este texto, mais quantos “irmãos” nossos no Mundo morreram de fome?!

Só seremos completamente felizes, quando todos formos felizes…

A fotografia é de autoria de Carlos Costa, in Olhares.com

6 comentários:

Anónimo disse...

Nunca seremos felizes!...

Belo texto! Parabéns!

as-nunes disse...

Bom amigo
Já estranhava a ausência, é certo, mas os motivos para se abandonar um projecto, qualquer que ele seja, são tantos, todos os dias surgem novos.
Quantas vezes não me interrogo se a minha participação na blogosfera se justifica por muito mais tempo?
Só que tenho um factor imperioso a favor/ou contra mim: o nome do blogue.
Há sempre algo a dizer, a escrever, a reclamar, a relatar, a aplaudir. E a base de dados do Google a aumentar exponencialmente.
E a Wikipédia a crescer incomensuravelmente.`
É verdade, quantos seres humanos e outros animais não morrem a cada segundo que passa, simplesmente porque não conseguem um naco de alimento que lhes permita sobreviver?
E nós, os que cá vamos andando? Desistimos? Lutamos? Contra quê? Contra os moinhos de vento como Cervantes? Valerá a pena? Tem que valer a pena!...
Não vamos desistir, amigo
Um grande abraço
António

Anónimo disse...

:)
...fico contente que pelo menos o pobre PopulusRomanus se tenha "salvo"...
...e sempre uma ajuda a alimentar outras almas ;)
Bonito texto, Bravo!
A.

Tozé Franco disse...

Regresso em pleno. Parabéns.
Gostei do texto, belíssimo como sempre, embora abordando um assunto trágico. Faz-me impressão que num mundo que produz tantos alimentos, haja gente a morrer à fome...
Ainda bem que voltou, pois estva farto de aqui vir à procura de novidades...

ManuelNeves disse...

ToZé,
obrigado pelas suas palavras.

Uma certa apatia levou-me a quase abandonar o PopulusRomanus, mas cheguei à conclusão que preciso mais dele que o Popuplus de mim. E aqui estou, sem grande arte nem engenho, mas, fazendo pela vida.

Um Abraço

Tozé Franco disse...

Já tenho presépio e está no blogue.
Começou, oficialmente, a época natalícia aqui em casa.
Um abraço.